Blog

Quais são os aspectos psicológicos da amputação?

Enfrentar uma amputação é um desafio não apenas físico, mas também emocional. O impacto psicológico desse procedimento pode ser profundo, afetando a autoestima, o bem-estar e a qualidade de vida do paciente. De acordo com o levantamento produzido pela Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV) mais de 282 mil cirurgias de amputação de membros inferiores (pernas ou pés) foram realizadas no Sistema Único de Saúde (SUS) entre janeiro de 2012 e maio de 2023. Compreender como lidar com os aspectos psicológicos desse procedimento, é essencial para a recuperação e a promoção de uma vida saudável e equilibrada para pessoas que tiveram membros amputados.

Grazielle Carvalho, fisioterapeuta e ortoprotesista da Orto-San, clínica especializada em ortopedia e reabilitação de amputados, destaca a importância de abordar tanto o corpo quanto a mente no processo de recuperação. "A amputação é uma experiência transformadora, e o suporte emocional é tão crucial quanto a reabilitação física. É fundamental que os pacientes recebam apoio psicológico para enfrentar essa nova realidade", explica Grazielle.

De acordo com elas, existem algumas dicas fundamentais para ajudar a promover o bem-estar Emocional e físico dos pacientes:

  • Apoio Psicológico:

Buscar terapia psicológica pode ajudar a lidar com os sentimentos de perda e adaptação. "O apoio de um psicólogo pode oferecer ferramentas para enfrentar o luto pela perda do membro e construir uma nova identidade", afirma Grazielle Carvalho.

  • Manter Hábitos Alimentares Saudáveis:

Uma dieta equilibrada é vital para a saúde geral e pode influenciar positivamente o estado emocional. Consumir alimentos ricos em nutrientes ajuda a manter a energia e o otimismo. "A alimentação adequada é crucial na recuperação. Ela fornece a energia necessária para a reabilitação física e melhora o humor", ressalta a especialista.

  • Exercícios Físicos:

A prática regular de exercícios, adaptados às novas condições do paciente, pode melhorar a força, a mobilidade e a autoestima. "A atividade física promove a liberação de endorfinas, os hormônios do bem-estar, além de ajudar na adaptação ao uso de próteses", diz Grazielle.

  • Participação em Grupos de Apoio:

Grupos de apoio oferecem um espaço para compartilhar experiências e receber incentivo de outras pessoas que estão passando pela mesma situação. "Sentir-se parte de uma comunidade pode reduzir o isolamento e proporcionar um sentimento de pertencimento", acrescenta Grazielle.

  • Engajamento em Atividades Recreativas:

Manter-se ativo em hobbies e interesses pessoais ajuda a desviar o foco das limitações e promove a alegria. "Atividades recreativas são fundamentais para manter o equilíbrio emocional e proporcionar prazer", enfatiza a fisioterapeuta.

A clínica Orto-San, comprometida com a reabilitação holística dos amputados, oferece um programa completo que integra todo suporte necessário, orientação e programas de exercícios personalizados. "Nosso objetivo é garantir que os pacientes não apenas recuperem a mobilidade, mas também encontrem um caminho para o bem-estar emocional e físico", conclui Grazielle Carvalho.

Enfrentar a amputação é um processo complexo que exige uma abordagem multifacetada. Com o apoio adequado e a adoção de hábitos saudáveis, é possível superar os desafios e promover uma vida plena e satisfatória.


Fonte: Dra. Grazielle Carvalho, fisioterapeuta, ortoprotesista, especialista em amputação - Orto-San

09 / Set / 2024

Comente essa publicao